From Indonésia

Destacado

Ilha enamorada de mim

Bali não te abraça. Te testa. É que nem homem safado. Que te chama, te beija, depois te larga e não liga. Só que é homem de cangote cheiroso, daquele tipo gostoso, que te chama de novo… de novo… de novo. Ilha-homem joga comigo mas, meu amigo… Não vês que também sou caprichosa? Tu me…

Feliz Dia, Mães do MER! 

Nesse dia das Mães eu queria falar um pouquinho do próprio Mães em Rede.  Queria falar dessas Mães guerreiras, que entraram na minha vida devagarinho, lembro quando a Rô (Roberta Munhoz) me apresentou ao MER e aos poucos fui entendendo e me entrosando com essas 10 mães maravilhosas! A maioria nao se conhece, mas nós nos falamos todos os dias, entre manhã aqui, madrugada em Bali, noite no Brasil nós dividimos nossas angústias, nossas vitórias, frustraçōes, e sempre na correria do dia a dia, essas mães acham um tempinho pra bater um papo.  Tentamos nos conectar mesmo com tantos fusos…

Feliz Dia, Mães do MER! 

Nesse dia das Mães eu queria falar um pouquinho do próprio Mães em Rede.  Queria falar dessas Mães guerreiras, que entraram na minha vida devagarinho, lembro quando a Rô (Roberta Munhoz) me apresentou ao MER e aos poucos fui entendendo e me entrosando com essas 10 mães maravilhosas! A maioria nao se conhece, mas nós nos falamos todos os dias, entre manhã aqui, madrugada em Bali, noite no Brasil nós dividimos nossas angústias, nossas vitórias, frustraçōes, e sempre na correria do dia a dia, essas mães acham um tempinho pra bater um papo.  Tentamos nos conectar mesmo com tantos fusos…

Quem mora fora quer amigo brasileiro?

Quem mora fora descobre, nos amigos que vai fazendo pela estrada, uma nova família, um novo suporte. Mas isso não significa que eles precisam ser apenas outros brasileiros. Há e deve haver espaço para abrir corações e mentes, para descobrir e provar de outras culturas. Mas também pode ser bom ter aquele ombro que entende o que você fala e sente, na sua língua. Confira as experiências, boas ou nem tão boas assim, das nossas mães espalhadas pelos quatro cantos do mundo.

Generalizações, em geral, não funcionam

Depois de semanas marcadas por tempestades noturnas, era finalmente uma sexta-feira de céu estrelado. Ainda não tínhamos tido a oportunidade de viver aqui em casa, com nossos mais recentes e corajosos visitantes, uma noite a céu aberto. Eles atravessaram o mundo, Graça veio ver os netos, o filho e a nora (euzinha). Renato veio namorar, conhecer, nos encontrar. Estávamos felizes, abrimos um vinho (coisa cara e rara nessa passagem por aqui). Os sapos cantavam em festa, disputavam o coachar mais alto e nós, felizes, sentamos para procurar constelações, lembrar de lendas intergaláticas e, claro, falar das impressões dessa nova vida.…