Portão mágico de Abizanda

Na serra que antecede a grande cadeia de montanhas que formam os Pirineus, em Aragón, Espanha, existe uma cidadezinha com nome mágico: Abizanda. Na primeira vez que escutei o nome, pensei em terras longínquas, reinos encantados com cavaleiros e princesas guerreiras. Abizanda, fundada no século XI, lembra as histórias de batalhas, dragões e califas. E não é que tinha razão? Esta cidade é realmente uma porta para outros mundos, porque é lá que a companhia de teatro de marionetes Los Titiriteros de Binéfar tem a sua casa. Ou melhor, suas duas casas. Em uma delas (todas de pedra, lindamente restauradas), foi construído um museu de bonecos de todo o mundo, em que a crianças se divertem tocando, movendo tudo o que podem. A outra é um teatro, onde a imaginação e a música dão vida às marionetes diante do olhar fascinado das crianças e do riso e das lágrimas dos adultos.
No espetáculo que vimos – El Bandido Cucaracha (O Bandido Barata) – dois atores controlam todos os bonecos e dois músicos se dividem entre instrumentos e os efeitos sonoros. Tocam gaita, clarinete, bateria, saxofone, sanfona, entre outros. No palco, uma porta para outro mundo se abre. Acompanhando historia de um bandoleiro que viveu por estas terras, que roubava dos ricos para dar aos pobres, de repente me vi Caruaru, Pernambuco. Vi cangaceiros. Vi a Arariano, a Joao Cabral. Vi as gravuras de J. Borges e a literatura de cordel. Vi o sertão e vi meu pai e minha mãe, porque filha de sertanejos sou. E naquele espetáculo falado com muitas palavras em aragonês, que é a língua desta terra montanhosa, me vi em casa.

Literatura de cordel na Espanha


No fim do espetáculo, o teatro se abre para o jardim e os atores saem para continuar a festa com seu público. Levam os bonecos e as crianças podem seguir fabricando histórias. Aproximei-me de Paco Parício, um dos atores e diretor da peça e me apresentei. Disse que era do Brasil e já não falei mais:
– Você é do Brasil?! Você viu que é literatura de cordel? Você viu que usamos o mamulengo? Adoro o Brasil! Tenho muitos amigos brasileiros. Coleciono xilogravuras e cordel. Amo a arte popular brasileira. Viajo por todo o mundo com nossos espetáculos e a do Brasil é uma das mais ricas. Que bom que você veio!
E me abraçou emocionado.
Com o peito cheio de orgulho pátrio, fui brincar com a criançada. Abizanda mágica, com seu portal para o sertão, me devolveu o Brasil. Nas fotos abaixo, a cidade de Abizanda, o museus dos bonecos e Paco Parício com Carol e o bandido Cucaracha.

Comentar