Ouvindo minha intuição

Texto de Orjana Oliveira, especial para o Mães em Rede

Há algum tempo venho ouvindo a minha intuição, ela vem funcionando como uma bússola interna que me coloca cada vez mais próximo da minha essência. Batendo um papo cabeça há uns tempos atrás com ela, concluí que havia chegado a hora de mudar os ares. Mas sair do Rio? Tenho um caso de amor com o Rio, aqui conheci uma forma de viver tão leve, conheci o meu amor, me casei, meus dois filhos são cariocas, tenho amigos cariocas. Conheci pessoas e lugares incríveis. Brinco que sou metade baiana e metade carioca. Agora então que comecei a trabalhar com algo que faz sentido pra mim, na minha estadia aqui nesse mundão, não apenas pelo tempo de trabalho mas pelo propósito mesmo, tantas oportunidades surgindo por aqui seria inconcebível me mudar. Inconcebível? Até minha intuição entrar em cena e fazer um convite por um caminho mais subjetivo, mais profundo. 

A sua morada está dentro de você, Orjana. Einsten dizia que a mente intuitiva é um dom sagrado e a racional é um criado fiel e que nós criamos uma sociedade que honra o criado e esquece o sagrado. Quanta sabedoria. Ah o sagrado! O sagrado é olhar pra dentro, é podermos acessar as nossas maiores capacidades, deixar nossa intuição fluir. É a nossa essência. É um processo de desconstrução, de não precisar buscar sentido em tudo e abrir esse canal, é ver mágicas acontecerem. 

Quero morar numa casa, ter um cachorro, ter uma vida mais calma, andar mais descalça, ter mais contato com a natureza, quero poder ouvir mais os meus filhos e a mim mesma, quero ter tempo para abraçar mais as pessoas, ficar quietinha no colo do meu companheiro de jornada olhando a lua, quero parar de correr atrás de não sei o que, quero saber o que estou fazendo com o meu tempo tão precioso, não quero ser negligente com ele, comigo, quero, quero, quero ter paciência comigo, me colocar no colo, quero muita simplicidade, nela creio tanto, quero estar comigo.. O meu propósito? Vai comigo e de lá o céu é o limite. 

Dá um frio na barriga! Não sei o que me espera, não sei se vai dar certo, mas também não estou em busca de certezas. Confio na vida, no fluxo que ela está me propondo. Lá vou eu, com meus rebentos e meu amor. Pra onde? Pra minha Bahia! 💓

 

Comentar