Viajando com crianças – Dicas pra minimizar o stress

Sempre vejo muitas mães perguntando o que fazer e como entreter as crianças em viagens longas. Bom, acho que sobre viagem longa, a gente entende um pouquinho (rs), e com duas crianças de 5 e 2 anos deu pra juntar bastante dicas de como entrete-las o máximo possível, por isso resolvi dividir aqui o que fazemos nas nossas viagens.

Nossa viagem começa bem cedo, é viagem de carro, horas em aeroportos, e o total de 3 aviões, isso quer dizer que são 3 subidas e 3 descidas, que pra mim, são os piores momentos da viagem pras crianças pequenas, e pros passageiros ao nosso redor. Pra nós a opção de vôo noturno (mais fácil das crianças dormirem) não faz muito sentido, pois voamos noite e dia, um total de quase 30hs porta a porta.

A minha mala de mão é praticamente a mala do mês todo, sempre levo fraldas suficientes pra dois dias, 2 trocas de roupa por criança, uma blusa extra pra mim. Criança se suja, suja a gente e faz xixi na calça, então pra evitar de chegarmos que nem o Cascão, essas mudas de roupa são essenciais.

Levo muitos snacks fáceis das crianças comerem, nessas horas esqueço do que é politicamente correto, se o chocolate as 9 da manhã vai me economizar 10 min de gritos (dentro de um avião lotado) o chocolate passa a ser a minha opção número 1!

Geralmente quando se viaja com criança você pode levar o que for preciso pra eles, aliás nunca tive problemas com isso à não ser saindo do Brasil, dessa última vez, o oficial da PF queria tirar tudo o que eu tinha com mais de 100 ml, que eram antitérmicos e leite. No fim conseguimos trazer tudo com a gente, mas tomamos um chá de espera no raio x.

Não deixe de levar os antitérmicos no avião, nunca se sabe quando eles vão ter febre ou dor, principalmente os bebes mais novinhos (dor de ouvido pela pressão do avião) eu sou mega precavida e levo ate termômetro. E sempre sempre tenho uma neosaldina caso a mamãe aqui precise!

Pra entreter as crianças eu compro brinquedinhos leves e pequenos, do tipo chaveirinhos, ovos surpresa que vem brinquedo dentro, mini bonecas, hot wheels, yoyo, etc, e embrulho um a um, assim na hora do aperto, vc da aquela “subornadinha” na criança com um presente!

Massinha!! Aquelas embalagens que vem em filetes, compacto e prático!! Dá pra entreter por um bom tempo!

Adesivos!!! Aqueles que grudam em vidros então, melhor ainda!!! As crianças ficam horas brincando. Na nossa última viagem, Luana grudou adesivos até quase no teto.

Quebra cabeças, de poucas peças lógico!!

Fantoches de dedo, eles adoram também!

Livros, de colorir, de preencher, de escrever, de adesivos, esse ano achei um que a criança colore com água!! Levei um pincel, e lá estava minha filha, felizona, achando que estava pintando o 7!

Ipads, DVDs portáteis, mesmo com a televisão do assento, as crianças as vezes preferem o Ipad, enchi de jogos e filmes, e se seu filho deixar, fone de ouvido, porque ninguém merece ouvir a Galinha Pintadinha por horas a fio.

Eu seguro até onde dá, e não deixo as crianças andarem pelos corredores, senão você passa metade da viagem atrás deles, esbarrando em todo mundo….e também tento leva-los pra fazer xixi antes da comida vir, porque é o carrinho passar, pras crianças pedirem, maeeee xixi!!!!!

Como falei acima, pra mim as subidas e descidas do avião são as piores, entre apertar os cintos e o avião subir (ou descer) são longos minutos os quais a minha filha não entende que tem que sentar com o cinto afivelado, ela grita e chora, sem dó, nem piedade, e em uma dessas subidas, depois de tentar de tudo, achei um pirulito na minha bolsa, e esse bendito durou o tempo suficiente do avião subir, e o sinal de apertar os cintos apagar. Foi alivio instantâneo….até ela descobrir que podia morder o tal bendito, mas até lá já era nosso ultimo vôo mesmo.

Aeroportos, é a hora de deixar eles gastarem energia, correr, gritar, se arrastar no chão, tudo em nome da nossa (e dos passageiros) sanidade.

Eu particularmente nunca tive coragem de “dopa-las”, tenho receio que algo aconteça, que eles fiquem mais agitados do que de costume, ou durmam demais ficando ate meio “grogue”.

Enfim, mesmo assim, no fim da viagem, as coisas azedam….mas pelo menos é no fim, onde você já não se importa tanto com os olhares e julgamentos dos outros, quando seu filho grita, ou chora, ou se joga…..chega uma hora que eu deixo gritar, e me finjo de surda, afinal de contas, eu no lugar deles, faria o mesmo!! Se nós nos cansamos, imagina as crianças!! Mas a boa notícia é que uma hora acaba, então o jeito é relaxar, apertar os cintos e boa viagem 🙂

Começando a viagem.

Começando a viagem.

Feliz da vida com a comida do avião

Feliz da vida com a comida do avião

Um dos brinquedos do Noah, um tenzinho que andava no trilho que era na verdade um puzzle.

Um dos brinquedos do Noah, um tenzinho que andava no trilho que era na verdade um puzzle.

Luana grudando adesivos aonde ela quisesse.

Luana grudando adesivos aonde ela quisesse.

Finalmente em casa...ops ainda falta uma hora e meia de carro

Finalmente em casa…ops ainda falta uma hora e meia de carro

Acabados no carro...e da-lhe Redbull pro papai.

Acabados no carro…e da-lhe Redbull pro papai.

Comentários

  1. Muito legal Pri. A nossa família também vive nos ares. Meu marido é diretor de filme e a gente viaja sempre com ele. Do deserto do atacama à Romênia e Cape Town, já rodamos esse mundão. Mas nunca peguei 3 vôos seguidos, deve ser punk!. No máximo 2.
    Essa questão de anti-térmicos com mais de 100ml, em Londres eles jogam fora e não tem conversa. Em uma das vezes me fizeram jogar e me avisaram que com prescrição eles não jogavam. Dito e feito, quando estive com prescrição na outra vez não jogaram (mesmo em português). Em outra vez esqueci de novo e lá sei foi pro lixo.

Comentar