Resiliência

É a propriedade que alguns materiais têm de se dobrar ou de se deformar suportando um determinado stress aplicado a ele. Nós todos, uns mais, outros menos, somos resilientes também. Cada um de nós tem a capacidade de se adequar a novas situações, de se confrontar com situações novas, absorvê­-las e se adaptar a novas realidades. É uma questão de sobrevivência.

Mas o que torna algumas pessoas mais resilientes do que outras? Que fatores influenciam isso? Será que resiliência pode ser aprendida? Nós, como mães, podemos fazer alguma coisa para estimular nossos filhos a se adaptarem a novas realidades?

Eu sou uma pessoa introvertida, tímida e nem um pouco aventureira. Mas porque será que eu embarco em tantas mudanças de país? Acho que é porque elas sempre representaram oportunidades que eu não queria desperdiçar. Era também um desafio pessoal: “se outras pessoas se adaptam, porque eu não vou conseguir?”

A cada mudança de país foi se tornando mais fácil e natural conviver com o desconhecido e aceitar uma nova cultura. É mais fácil quando a gente abraça e entende o porquê de um povo ser do jeito que é. A tolerância e a resiliência andam de mãos dadas.

Há pessoas que não conseguem nem mudar de cidade, que dirá de país… Mas por quê? De onde vem essa dificuldade? Será que existe algum tipo de incompatibilidade irremediável entre o lugar e a pessoa? Obviamente, existem casos extremos, diferenças culturais e religiosas extremas, mas excluindo estes casos: será que falta a tal resiliência? Há um apego tão grande a um estilo de vida, a certos hábitos que a pessoa se sente infeliz e incapaz de descobrir novas formas de viver, de incorporar novos hábitos, enfim de abraçar coisas novas?

Eu espero que minha filha se torne uma adulta resiliente. Que as mudanças de país, tenham um efeito positivo na capacidade de adaptação e tolerância dela. Ela suporta e assimila bem novas situações. Tanto que está encarando essa nova mudança de país de forma serena.

Mas será que quando se tornar adulta será avessa a mudanças, exatamente pelo fato de ter se mudado tanto? Estou curiosa… Um dia eu conto pra vocês!

Comentar