Vale à pena ter passaporte brasileiro?

Quando os meninos nasceram, antes que tivessem dois meses de vida, levei os dois ao Consulado Brasileiro em Barcelona e os registrei. Com a certidão de nascimento brasileira na mão, entramos com o pedido de passaporte e assim, oficialmente, Hugo e Carol são brasileiros de fato e de direito. Bom, né? É uma sorte viver e ser de dois países que permitem esta dupla nacionalidade. Sorte mesmo. Porque existe um montão de países que não permitem e os pais têm que optar qual vai ser a melhor para as crianças. Resumindo: Hugo e Carol  são espanhóis e brasileiros. E sempre serão, porque não se pode renunciar a nacionalidade brasileira. Quer dizer, uma vez dentro, não se pode sair. O Brasil instituiu a máxima do hino do Flamengo: uma vez brasileiro, sempre brasileiro. Orgulho para mim.

Mas aí você vai conhecendo outros pais e mães de brasileirinhos e descobre que só você fez esta burocracia. Ninguém mais. E pergunta: mas você não quer que teu filho seja brasileiro? E todos respondem: claro! Mas é tanta chatice que é melhor esperar até o tempo limite, que são os 18 anos. Aí, se a pessoa quiser, ela mesmo vai lá e se registra.

E são muitas as chatices? Na verdade, sim. Primeiro que a burocracia tem que ser realizada sempre em Barcelona. Ok, Barcelona é uma delícia, mas isto significa viajar, gastos, pedir dia livre no trabalho, porque o Consulado só funciona em dia útil. Também significa dinheiro. O passaporte espanhol custa 25 euros. O passaporte brasileiro custa 80! E para piorar, o primeiro passaporte de um bebê vence em um ano. Quer dizer, no ano seguinte, tudo outra vez.

Mais ainda: viajar sozinha com criança brasileira te obriga a ter uma autorização por escrito do pai. Autorização que, obviamente, você só consegue indo uma vez mais ao Consulado. Felizmente, nos últimos anos, criaram uma autorização que vem escrita no passaporte da criança, que não precisa renovar a cada nova viagem. Mas como é algo relativamente novo, você tem que passar pelo constrangimento de que te levem a uma salinha no aeroporto e vários policiais federais leiam e releiam aquelas poucas linhas e depois de meia hora te digam: pode ir!

Em um breve futuro, Hugo terá que enfrentar uma burocracia pior: o serviço militar obrigatório. Mesmo morando no exterior, ele é brasileiro e como todo brasileiro, terá que se apresentar. Tomara que nos 13 anos que faltam para ele completar os 18, surja um político sensato (hahahaha!) que acabe com esta obrigação absurda. Mas como não sou tão otimista, prevejo a Hugo bastante irritado.

E mais ainda. A obrigatoriedade do voto. Aqui somos obrigados a votar para presidente. A cada quatro anos, uma nova viagem ao Consulado ou pagar a multa nas férias no Brasil. Confesso que voto feliz. Adoro votar. Mas fico pensando que, se continuamos a viver na Espanha, os meninos serão obrigados a votar em políticos que não terão a menor idéia de quem são.

Vantagens de ser brasileiro? Burocráticas, poucas. Poder ficar mais de tres meses no Brasil. Porque sem a nacionalidade, isto se complicaria. A criança estaria ilegal no país. Para vida: muitas mais. Falar português, a mais bonita das línguas. Ser da terra do Tom Jobim, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano, Jorge Ben e tantos e tantos outros. Amar a Seleção. Saber que não existe nada melhor que um bom arroz com feijão e muito e muito mais. Mas, se você pensa bem, nenhuma destas coisas passa pela burocracia do passaporte. E você? O que acha?

 

 

Comentários

  1. Voce escreveu uma historia que to sempre dividindo com amigos que moram fora. Sou brasileira, moro em Londres e tenho uma filha de 11 anos, com meu primeiro marido, brasileiro e ela foi registrada como brasileira. Tenho que renovar passaporte a cada 4 anos a £80, autorização no passaporte pra viajar com um dos dois.
    Minha segunda filha, de 2 anos, com marido canadense, resolvi não registrar. Fiquei achando que iam me encher o saco no aeroporto, porque uma tem e a outra não tem? Enfim, nunca deu problema! Da ultima vez ate fiz uma autorização no consulado aqui (custo zero!, com carimbo/adesivo dourado e tudo) e eles me falaram na Policia Federal, se ela nunca foi registrada como brasileira não precisa de nada.
    Ou seja, meu conselho e não faca! Deixe pra fazer quando for obrigatório, acho que com 12 anos.
    E eu ami o Brasil, amo ser brasileira, mas evito a burocracia quando e possivel!
    Valeu pelo otimo texto!

    • Obrigada Kiki! A verdade é que estou um pouco arrependida do meu ato romântico de registar os dois. Minha menina de trës 3 anos já está no terceiro passaporte! Todo ano esta burocracia. Enfim, a gente só aprende tarde mesmo.

  2. Se vale a pena ter que ficar presa em um quarto de hotel por não ter um passaporte.
    Tipo mãe saî. Pai fica
    Um bebê bomba com guarda na porta armado , tomando conta do baby.
    Isso é USA.
    É uma questão de escolha e valores!!
    E ter que ir a Barcelona , um lugar legal.
    Já fui mais assaltada lá do aqui, rsrsrs
    Questão de vivências acho eu!!!
    Sim vale a pena ter passaporte brasileiro
    Vc o é!!!!

      • Ei, quem disse que tem que renovar o passaporte brasileiro sempre? Meus filhos são franco-brasileiros é só mantenho o passaporte francês em dia, que para crianças vale por 5 anos e adultos 10 anos. Viajo com os dois, o francês em dia e o brasileiro vencido mesmo,(só fiz um e meu filho já tem 7 anos). Por enquanto nunca tive problema.

Comentar