Filhoteca

Mais uma mãe convidada pelo Mães em Rede para compartilhar suas aventuras da maternidade com a gente: Fernanda da Escóssia. É jornalista, mãe da Ana e do Daniel e tem uma enteada, a Maria. Nesse primeiro texto, ela fala sobre a experiência “colecionada” de estudar com eles. 

Filhoteca

Por Fernanda da Escóssia*

Entre uma pauta e outra, um pescoção e outro, sempre achei um tempinho para estudar com meus filhos. (Pescoção é como os jornalistas chamam a madrugada trabalhada; nos jornais diários, costuma ocorrer de sexta para sábado, preparando a edição de domingo.) Estudei com a mais velha muito tempo, e me sinto feliz ao vê-la agora estudando sozinha, capaz de sair tranquila como saiu hoje para a prova de alemão que avalia conhecimentos de uma vida inteira.

Quando estudávamos português, eu perguntava, qual a matéria da prova? E ela, é tudo, mãe, português é a matéria toda sempre. Eu ria pensando que estava fazendo o certo, torcendo a pepina desde pequenina.

Dia desses foi a vez do caçula. Estamos estudando coletivos, anuncia solene na hora do jantar. Coletivos, que ótimo. Aquele conjunto de seres da mesma espécie, palavra singular com alma de plural. Eu sei um difícil, cáfila, de camelos, diz o pai.

A adolescente avisa ao caçula:

– Prepare-se, que a mamãe vai perseguir você com a lista de coletivos. Agora é sua vez.

Humpf.

A lista de coletivos é aquela listinha que fizemos quando ela era menor, juntando todos os coletivos que apareciam em livros, fichas e cadernos. Pois revirei os alfarrábios e achei a tal lista, nas versões manuscrita e digitada, uma sucessão de nomes e seus coletivos.

Provas chegando, a lista entra em ação. Ele lê, eu pergunto. Pra que eu preciso saber o coletivo de camelos? Aqui não tem camelo… Para ler Malba Tahan. Para quando você for viajar pelo deserto do Saara. Então tá. Cardume, os peixes que ajudaram o Nemo. Manada só serve para boi? Não, o pai do Rei Leão foi atropelado por uma manada de búfalos.

O moleque entendeu rápido que o sufixo “teca” dá ideia de conjunto, e começa a fazer piada. Boiteca, né, mãe, coletivo de boi, caçoa. E você, por exemplo, tem uma irmãosteca. É, tenho seis irmãos, formam uma boa irmãosteca…

Vamos lá, menino, a hora avança. Qual o coletivo de filhotes?, pergunto. Esqueceu, o danadinho, de tanto que faz piada, esqueceu que a resposta é ninhada. Vamos lá, filho, serve para filhotes, ovos…

– Já sei, mãe, filhoteca.

Mais um para a minha lista.

* Fernanda da Escóssia é jornalista. É mãe da Ana e do Daniel e tem uma enteada, Maria. É potiguar, cresceu no Ceará e vive no Rio de Janeiro há mais de 20 anos. Acredita no amor e nos livros para ajudar a cuidar de crianças. Ah, já é tia-avó quatro vezes.

 

Comentar