As confusões do bilinguismo.

Ontem eu estava revendo um dos vídeos do Mães em Rede e vi os filhos (lindos e fofos) da Rosane conversando com ela em espanhol e ela sempre falando em português, e percebi o quão interessante, engraçado, complicado e desafiador pode ser essa experiência do bilinguismo.

Já tive inseguranças sobre o assunto, mas hoje estou um pouco mais tranquila.

O Noah demorou pra falar de um jeito que a gente entendia, vendo vídeos antigos dele, percebi que muita coisa eu não entendia porque ele falava em inglês. Ele ainda com seus 4 anos e meio fala o português super errado, mas antes assim do que não falar. Às vezes corrigimos, às vezes damos risadas.

Já percebi que quando os pais falam idiomas diferentes entre si, a criança tende a falar o idioma do local onde moram.

Aqui, na maioria das famílias que conheço onde um dos pais fala inglês, as crianças tendem a falar o inglês, já que é a língua falada em casa, e raramente o português. E quando os pais são ambos brasileiros, é bem mais fácil de manter o português (o nosso caso).

Acho super curioso quando os australianos me perguntam se falamos português em casa e ficam espantados com a minha resposta: sim, claro, sempre!! Lógico que algumas palavras é mais comum falarmos em inglês, mesmo por uma razão de segurança e educação, como STOP, HOT, VERY HOT, PLEASE e THANK YOU.

Outra curiosidade é quando juntamos as crianças brasileiras: elas sempre brincam em inglês!

Às vezes é uma tarefa que cansa e frustra. Sempre após a escola do Noah pergunto a ele como foi seu dia e raramente obtenho alguma resposta. E sei que se perguntasse em inglês, ele até falaria mais, e quando ele me diz algo em português, leva tempo, é confuso, dá uma gagueira, e às vezes eu falo “filho se for mais fácil pode falar em inglês”. E já percebi que perco muita coisa, simplesmente porque não fiz a pergunta em inglês.

Acabamos de voltar do Brasil e é incrível o quanto ele melhorou no português em três semanas! Construindo frases longas e falando muito mais com a gente.

Algumas frases engraçadas e curiosas do Noah:
“Mamãe posso guardar in dentro?” O in é constante nas frases dele.

Quando colocamos ele pra dormir, e ele quer que fiquemos deitado com ele:
“Mamãe, quero você pra ficar” o que traduzindo seria o “mom I want you to stay”

E a mistura das duas línguas também é constante: “preciso de um bucket pra limpar”, que seria um balde.

E agora ele já tem a noção que fala dois idiomas e pergunta: mamãe, como é rubbish em português?

E muitas outras que fazem o dia a dia por aqui ser bem engraçado.

image

Comentar