Vai se f*&#!

09969682656a11ee9c19573fb2ae7fa3

Da vaidade eu sei. Minha amiga legítima, porque somos sinceras uma com a outra. Às vezes a gente se estranha, briga e eu faço com ela o mesmo que com os filhos, só que a eles digo que sentem na escada para pensar e para ela, boto mesmo de castigo.

Não falo dela que me mostra desde o aniversário de 40 anos, os primeiros fios de cabelo branco, as rugas, dores aqui e ali e até um maldito joanete. Essa vaidade visual rende um outro post. Falo dela que me ronda o tempo todo, quando faço questão de apresentar minha formação acadêmica, o empreendedorismo, quase o currículo inteiro sempre que alguém me pergunta se estou trabalhando em Dubai.

Gosto quando me elogiam a casa, o jardim, o jantar. Mais ainda quando o elogio é para as crianças, a forma de educar e a entrega à família. Mas esta semana, alerta! Minha filha de 5 anos, que vinha nas últimas semanas perguntando sobre palavrões e gestos”feios”, me deu um sinal de “vai se foder”, levantando o dedo médio. Não viu isso em casa, posso assegurar. Mas está exposta, no mundo, na escola, na vida. Brincávamos de boneca e num momento, discordamos quanto enredo e ela de cara emburrada e sem hesitar, me mandou o sinal. Na lata. Na nossa casa não se vê televisão. Durante a semana, nenhum equipamento do gênero é sequer ligado. Mas Antônia está viva, exposta a isso na escola. Não há nada que e possa fazer.

Durante esse tempo, a vaidade minha amiga dizia: “Ela só tem cinco anos. Por mais que você se entregue e dê de você o melhor, ainda que tenha aberto mão da sua carreira por opção, é claro que quer o retorno. Não me venha com esse papo de fazer sem esperar em troca porque isso não cola. Todo mundo quer de volta. E cobra. Você não é diferente. Aliás, você não poderia ser mais igual. E essa fedelha, sua filha, também.”

Fiquei quase dois dias inteiros remoendo aquela cena. Conversamos, deixei que ela passasse um bom tempo pensando naquilo, mas quem precisava elaborar o fato era mesmo eu.

Quanto vai me custar toda esta entrega? Quando crescidos e formados quanto vai restar da minha vaidade? Estou emburrecendo? Morar fora idiotiza a gente?

 

 

Comentários

Comentar