From fevereiro, 2015

A viagem

Estava nervosíssima para começar a viagem e louca para entrar naquele trem. Doze horas que me levariam de Paris a Barcelona, a encontrar com aquele rapaz, que tinha conhecido no Brasil e que, depois de muitas trocas de emails e telefonemas, decidimos que era hora de um novo encontro ao vivo e a cores. Doze horas. Saía às 21h e chegava às 9 da manha. Vagão leito para duas pessoas. Agradeci o fato de ter comprado o Europass no Brasil, que me dava um leito de primeira classe, que, com um pouco de sorte, não dividiria com ninguém. Mas não. Para…

Maioridade pelo Mundo

Semana passada fui a uma festa de aniversario de uma amiguinha do meu filho, todos ali eram australianos. Enquanto eu observava o Noah brincar ouvi uma conversa de dois pais, um deles falava que a filha tinha começado o YEAR X na escola e que dali 6 anos estaria LIVRE! Que ele nao teria mais que se preocupar com os filhos. Como quem diz a partir dos 18 o problema nao é mais meu, nem as contas. Aqui é assim, os filhos completam 18 anos e logo saem de casa, aos 15/16 começam a trabalhar (mesmo sem ter necessidade monetária),…

Sentimento sem-teto.

Os quadros- Anna Röding, Röding’s Art Duas Anas se encontraram em Madri. Na verdade, uma Anna e outra Ana: ela sueca , eu brasileira. Anna , a sueca, é toda branquinha. Isso, e sua simpatia sempre chamaram a minha atenção, naquelas frias manhãs de sábado, quando acompanhávamos nossos filhos nas partidas de futebol da escola. O que nos uniu foi Milão: Anna havia vivido adorados anos em Milão, e eu, cheia de medo ,estava de mudança para lá. A amizade criou raiz, e tenho um par de quadros pintados por Anna , que levo para onde quer que eu vá.…

Numa segunda-feira qualquer.

Era meio dia, em cima da mesa duas xícaras vazias, um prato sujo, um jornal aberto. Nas cadeiras que acompanhavam a mesa, uma mulher ocidental de uns 20 anos, pele alva, esguia, trajava uma calça despojada e uma camiseta fechada. Seria discreta se não estivesse envolvida pela cintura, de pernas entrelaçadas com um um senhor de quipá, cabelos longos e grisalhos na mesma cadeira. Os dois pareciam um só. João, de costas, não tinha visto nada. Ele concentrado nos nossos afazeres enquanto eu voava: “devem estar de férias. Acabaram de sair da cama. O casal é fresco. Devem estar em…

E você? Vacina?

Sempre que leio qualquer reportagem sobre pais que decidiram não vacinar seus filhos, fico de mau humor. Aviso aos navegantes: sou 100% a favor das vacinas. Como meus filhos nasceram na Espanha, não sei se este tema é motivo de debate no Brasil como é aqui pelos lados do “primeiro mundo”. Imagino que não, mas pergunto:…

Desligada do outro lado do mundo

Imagine que muitos dos seus amigos e grande parte da sua família foi convidada para uma festa. Lá, todos mostram as fotos da última viagem, reclamam do governo, discutem política, comentam o noticiário e até ouvem música. Como diria o Pedro Cardoso, na peça Os Ignorantes, “situação normal de festa”. Você também foi convidado. E até recentemente, conseguia ir nessa festa. No entanto, seus pais são bravos. E você é um/a bom/boa filho/filha. Eles não deixam você ir à festa. E você não vai. Até tenta, mas nem consegue. Mora longe, não tem carro, nem carona e nem taxi. Além do…

A despedida

Já faz algum tempo que comecei a escrever o post sobre a despedida do Peru. Comecei, parei. Recomecei, parei de novo. E depois de semanas consegui concluir. Ou não, já que provavelmente tenha me esquecido de mencionar muitos dos inúmeros momentos importantes que vivi nesses 4 anos de Lima. A verdade é que com a loucura da mudança de país com 2 pequenos (um de 3 anos e outra de 11 meses) eu não tive tempo, e nem foco, para terminar esse texto que tanto me emocionou escrever. O Perú foi para mim a melhor parte da minha vida. Sem…

Onde você for Deus vai atrás.

  “Minha mãe me disse há tempo atrás Onde você for Deus vai atrás Deus vê sempre tudo que cê faz Mas eu não via Deus Achava assombração, mas… Mas eu tinha medo! Eu tinha medo!” PARANÓIA – Raul Seixas     Na capela da escola onde estudei, acima do portal imponente da entrada havia um triângulo com um olho dentro. Diziam que era o olho de Deus, o “Olho que tudo vê”. Eu morria de medo daquilo. Desde tirar uma meleca e grudar embaixo da carteira, até coisas mais sérias como jogar papel higiênico molhado no teto do banheiro…

Agua e Neve

Na semana passada tivemos uma tempestade de inverno, não era pra ser neve apenas, seria muita neve, muito vento, temperaturas baixissimas. Acabávamos de chegar do Brasil… Por todo o lado, alertas para se preparar para a tempestade. A escola avisa pelo sistema de sms que não haverá aula no dia seguinte, no noticiário todos dizem para se preparar: evitar deslocamentos, estocar comida, buscar uma fonte de energia alternativa pois o risco da rede é grande… No supermercado tem fila, porque todo mundo está estocando… Eu, meio mal humorada, já que precisava mesmo era abastecer a casa depois das férias… A…

O Clique

Há mais ou menos um ano, recebi um convite no facebook para curtir uma página: Márcia, a pediatra de Lucca no Brasil, uma das pessoas referencias de minha vida que me mandava. Clique : dei um “like”. A partir de então comecei a ler àquelas mulheres, que assim como eu, eram mães brasileiras que viviam fora de seu país. Passei ao menos um mês, apreendendo essas pessoas, que começavam a tomar forma na minha imaginação. De tanto que me vi em cada uma delas, e em cada uma de suas lindas histórias, resolvi me convidar para fazer parte do grupo.…