IndignAção.

Mafalda-Basta

Lembra dessa música do Skank? E não é que ela me invadiu nessa semana…

É assim que me sinto em relação ao rumo que está tomando o nosso Brasil.

Se você acabou de torcer seu nariz, pensando, “sapo de fora não tem direito de coachar”… Obrigado pela atenção dispensada. Sinto muito, mas não sou sapo de fora, e vou coachar. Ou você acha que, porque não sofro mais com a vida gasta no trânsito diário da ida e volta do trabalho, com a falta de água, a corrupção e violência, eu não sofro por ver, ler e ouvir pessoas que amo, queridos amigos, e o povo de meu país sofrendo? Só porque o problema não me atinge -de fato não me atinge?-, não é meu? A água só passa a ser uma questão quando não sai da minha torneira? Enquanto a seca era no Nordeste, não era problema…?

Tudo isso me atinge sim. E muito.

Toda vez que sentimos falta, ou falamos em voltar para o Brasil, Lucca é o primeiro a dizer que quer voltar, que gostaria de crescer no seu país. Só que a conta não fecha, meus queridos… impossível ter a qualidade de vida que temos aqui, no Brasil. Muito menos agora.

Temos um amigo brasileiro que diz que se sente um exilado emocional, porque, racionalmente, ele sabe que o melhor ,para ele e para sua família, é não voltar.

Nós sentimos o mesmo. Gostamos de nossa vida no estrangeiro, gostamos do estilo de vida que temos aqui: mais simples, mais prático. Adoramos viajar, conhecer novas paisagens, novas culturas. Estamos bem, felizes.

Mas você acha que se no Brasil tivéssemos saúde pública, transporte público, acesso a arte e cultura, baixo índice de violência, como temos aqui , preferiríamos morar longe? Se eu pudesse reproduzir a vida que tenho aqui lá no meu país, não gastaria mais nem um minuto nesse blábláblá. Nossas malas já estariam prontas.

Acontece que isso é um sonho, muito difícil de se realizar. E pior, cada dia mais vejo conhecidos e amigos desesperados, no sentido da perda da esperança mesmo, querendo escapar do Brasil.

A situação que eu e minha família vivemos aconteceu por uma oportunidade, não foi uma fuga.

Pois o sapo aqui quer pedir aos daí que se indignem também. E por favor, partam para a ação: mudem sim o que não está bom. Mas primeiro mudem em si, depois, naqueles que estão próximos, e não finjam que não vêem os problemas dos outros, só porque não é seu problema.
Nenhuma solução cairá do céu, mesmo que Deus seja brasileiro. Dependerá de muita vontade e de muito trabalho conjunto.

Assim, quem sabe, um dia eu espero poder dizer a Lucca que podemos realizar seu sonho de crescer no nosso país, perto das pessoas que amamos e que ali estão. E mais que isso, porque acredito que podemos dar certo como país.

Conto com isso.

Ah, e a vida que temos , é escolha nossa, sim senhor. Não é culpa nem da Dilma, nem do FHC, nem de ninguém.

Comentários

Comentar