Conhecendo os Pirineos

IMG_7256

Eu, Carol, neve e cervejinha.

Eu, Carol, neve e cervejinha.

Pausa para o churrasco.

Pausa para o churrasco.

Pineta

Pineta

Vale de Benasque

Vale de Benasque

Vale de Pineta

Vale de Pineta

Cara norte dos Pirineos também conhecida como França.

Cara norte dos Pirineos também conhecida como França.

Quem vem do Brasil de férias para a Espanha, normalmente conhece Madri e Barcelona. Alguns mais viajeiros arriscam Sevilha, Granada, talvez Santiago de Compostela, mas pouca gente conhece os Pirineos. O que é uma pena, porque é sem dúvida um dos lugares mais bonitos que já vi, com diversão garantida para toda a família em qualquer estação do ano. Claro que parece estranho sair do Brasil para buscar natureza na Europa, isso a gente tem de sobra. Mas a montanha é para mim é um lugar mágico, que impressiona e, para quem gosta de esporte e aventura, uma oportunidade para praticar escalada, rafting, esqui alpino, esqui de fundo etc, em uma paisagem privilegiada e, muitas vezes, com melhores preços que em outros países europeus.

Os Pirineos é a cadeia de montanhas que marca a fronteira natural entre a Espanha e a França. Na Espanha, ela se estende por três comunidades autônomas (equivalentes aos nossos estados) diferentes: Navarra, Catalunia e Aragão. Na primeira, Navarra, está a parte mais baixa e menos turística dos Pirineos. É para quem quer total tranquilidade. Na Catalunia, é onde estão as estações de esqui mais badaladas, em particular a da Baqueira, lugar onde a família real esquia e os papparazzi dão plantão para fotografar famosos na neve. Em Aragão, estão os picos mais altos, como o de Aneto, a 3.404 metros de altitude, quase mil metros mais alto que Agulhas Negras. Como dá para perceber, é uma região bastante grande, com muito o que ver, de pueblos (cidadezinhas) medievais a parques naturais, com cachoeiras, onde os mais valentes tomam banho no verão.

O Pirineo Aragonês está entre hora e meia de Zaragoza (os vales mais próximos, como o de Tena) e duas horas e meia (os vales mais distantes, como o de Benasque). Na verdade, eu só entendi o conceito real de vale, quando fiz um vôo de ultraleve. A cadeia des montanhas é formada por picos e, entre um e outro, estão os vales, onde ficam a maioria das cidadezinhas, onde se pode organizar os passeios, contratar guias para escaladas, etc. A alta estação são na vedade duas: inverno e verão. Na primeira, por causa da neve e do esqui. Na parte aragonesa estão as estações de Panticosa, Formigal, Astún, Candanchu e Cerler, somando um total de quase 300 km de pistas, para todos os níveis de dificuldades. Para quem, como eu, não sabe nada, dá para fazer uma aula e alugar todo o equipamento no local.

O verão é para quem gosta de trecking. Caminhar pelo parques naturais, como o de Ordesa,  tomar banho de rio gelado, de aproveitar as noites super estreladas. Mas também é para quem gosta de música. Um dos melhores festivais de música do mundo, o Pirineos Sur (http://www.pirineos-sur.es/) se realiza no mês de julho, no pueblo de Lanuza, no vale de Tena. Montam um palco na beira de um lago, no pé da montanha. É lindo! Tem estilo hippie, com muita gente acampando. E vem gente bem legal para tocar, de Gilberto Gil e Mao Chao, a grupos de Marrocos, Argélia, etc. Climão paz e amor.

Primavera e outono são baixa temporada e para mim são as melhores épocas. Muito menos gente, tudo mais barato e também mais bonito. Na primavera, a gente vê a vida renascer. O verde novinho em folha. Os rios cheios da neve derretida. As flores. No outono, pela cor marrom das árvores, pelos cogumelos deliciosos, o vermelho do verde. Lindo!

Para se hospedar, tem um pouco de tudo: hotéis cinco estrelas como o Balneário de Panticosa (http://www.panticosa.com) a campings muito bem estruturados como o de Peña Montañesa, que tem até piscina quente (http://www.penamontanesa.com/). Se não tiver barraca, não tem problema, pois todos têm cabanas para famílias. Mas para quem viaja com filhos, a melhor opção de hospedagem são as casas rurais. Se pode alugar uma casa inteira, com todo o conforto,  cozinha completa, até com máquina de lavar louça. Sem o estresse de ir a restaurantes com criança pequena, dá para ficar à vontade e, o melhor, fazer um churrasquinho. São um pouco mais caras que os campings, mas mais baratas que os hotéis. Na web www.toprural.com há muitas opções de casa. Uma das minhas preferidas: www.casaslaribera.com. As casas são impecáveis, o lugar é lindo, perfeito para crianças pequenas, com muito espaço para brincarem com segurança e com animais tipo galinha e coelho, que fazem o maior sucesso.

Na próxima visita à Europa, por que não incluir um pouco de natureza no roteiro?

Lugares de interesse:

Ainsa, pueblo do século XI, com muralha, castelo, tudo que tem direito.

http://www.villadeainsa.com/

Sallent de Gallego, também do século XI, na beira no lago de Lanuza,, a poucos km da fronteira com a França.

http://www.sallentdegallego.com/

Parque Nacional de Ordesa y Monte Perdido

Foi declarado Patrimonio da Humanidade pela Unesco. Simplesmente lindo.

http://www.magrama.gob.es/es/red-parques-nacionales/nuestros-parques/ordesa/

Esqui

Onde esquiar, preços, aulas, tem tudo aqui:

http://www.aramon.com/

Comentários

Comentar