Um ciclo completo

Faz um pouco mais de um ano que chegamos aqui. Completamos um ciclo, vivemos cada uma das estações.
O primeiro inverno com muita neve e um frio, um isolamento, duro de viver. Foi um tempo de adaptação pessoal.
Na primavera, as primeiras flores mostraram que era tempo de saírmos do solo gelado, de florescer e crescer. Foi um tempo de adaptação com o que estava em volta: a rotina, as tarefas, as pessoas. Pequenas sementes que começavam a germinar.
No verão, o calor e o tempo mais fluido das férias, as pessoas na rua, a Natureza em festa! Foi um tempo de colheita: as amizades, alimentadas por horas vagarosas compartilhadas, frutos do que, mesmo sem saber, tínhamos plantado. Foi uma adaptação gostosa!
No outono, as cores das folhas são um espetáculo a parte, uma pintura mágica, uma enorme transformação.
E de repente, nos vimos “veteranos”. Não era mais nosso primeiro ano na escola (só pra lembrar , o ano letivo começa em setembro), recebemos de braços abertos novos amigos e, eu me senti pronta a acolher outras mães, a ajudá-las com dicas, com uma xícara de café.
Surgiu ate uma entrevista de trabalho, que embora não tenha dado certo, me ajudou a lembrar um pouco de mim mesma.
Foi um tempo de retribuir e compartilhar, viver os dias que iam encurtando, aproveitar cada oportunidade de estar fora, e, como os esquilos (tao ocupadas estas criaturas!) esconder e guardar belas nozes e frutos, bem fundo (onde a terra ainda é quente, mesmo no inverno), para saborear nos dias frios.
E chegou o inverno de novo e, já não parece tão frio, agora que sabemos bem como nos vestir em camadas. A neve (só tivemos uma boa nevasca por enquanto) já não é tao isolante, agora tenho coragem de dirigir quando neva e que temos amigos com quem construir bonecos de neve e beber chocolate quente.
Não é mais adaptação, é a vida que segue!

PS1 – Escrevo do avião (dormir, não consigo), vamos passar o Natal e o Ano Novo com nossos pais, irmãos, cunhadas e sobrinhos e sobrinhas. Rever os amigos. Aproveitar o calor da terra e daqueles que nos amam e que também tiveram que se adaptar a viver sem nossa presença constante.
Estamos felizes e ansiosos mas já antecipo um saudade do nosso ritmo cotidiano.
Aconteceu, o que minhas amigas aqui do Maes em Rede, já comentaram temos agora dois lares!

PS2 – A estas amigas virtuais, agradeço a ajuda que cada texto representou neste processo, cada lembrança de que “ei, voce nao esta sozinha!”, e a oportunidade de partilhar as minhas vivencias!
Para 2015, quero escrever mais, construir e colaborar com esta “rede” que une nao apenas mães “expatriadas”, mas também mães, mulheres e todos que atravessam as muitas adaptações que a vida nos apresenta.

PS3 – Se você vai se mudar pro hemisferio norte, para um lugar que neva, se puder, não mude no inverno!

PS4 – Quando estávamos nos preparando para mudar, ouvi a seguinte dica: vocês vão sentir saudades de casa, mas não voltem muito cedo pois pode tornar a adaptação mais difícil. Para mim, um ano esta parecendo a medida ideal, uma volta completa da Terra, uma jornada pelas estações com suas brutalidades e muitas belezas!

Um Natal de muita luz e que 2015 traga muitas conquistas!

Fonte Imagem: http://www.creativesimplicity.ca/everything-turn-turn-turn/

/home/wpcom/public_html/wp-content/blogs.dir/267/55694761/files/2014/12/img_1554-0.jpg

/home/wpcom/public_html/wp-content/blogs.dir/267/55694761/files/2014/12/img_1554-2.jpg

Comentários

Comentar