Verdade ou Consequência

IMG_4275
De longe também se passa a SER a verdade. Não que antes não fosse, mas a consequencia acaba ganhando, e a gente, entrando no esquema. E esse, minha grande amiga psicóloga me ensinou a chamar :“Contemporaneidade”. Então.
Então que naquela brincadeira adolescente, gostosa e meio proibida a consequencia era muito mais gostosa porque era de VER-DA-DE. Era um beijo no garoto que nunca te beijaria e coisas tão reais, tão tocáveis quanto isso. E daqui de longe eu não estava entendendo se o Jô Soares tinha morrido ou tido alta; por que o Roger tinha ressuscitado e era xingado de inútil e, pior: não tinha a menor ideia de quem fosse o cara que morreu e era candidato à presidência. Foi por isso que lembrei desse jogo e veio a vontade incontrolável de falar verdades. Porque diz o ditado e o povo, que quem muito se preocupa com bobagens precisa mesmo é “caçar um serviço” e esse… esse eu tenho de sobra. Não que a morte do candidato do bem seja bobagem, mas também é verdade que nunca me interessei por política, e como a mulher do Nazareno, eu “Só abro a boca quando tenho certeza!” e verdade que sobre a Dilma nem like no facebook dou.
Verdade que agora todo mundo parece ter virado celíaco, nutricionista, esportista, maratonista e … masoquista. Ah, que pena não comer um pão quentinho, com manteiga gelada e um café pingado no boteco da esquina. Nossa… que pena. Consequência é que eu, que como, não devo sair por aí, fazendo selfies de “hot mama” usando biquini de lacinho. Não tem importância. Verdade é que fui hot antes de ser mamma, e também verdade que meu beijo na boca é absolutamente inesquecível.
Verdade que vivo numa bolha, envolta naquilo que me interessa, e também que pouca gente se interessa pelo mesmo.
Consequencia é que me falta assunto.
Verdade que investigo uma coisa e outra. Verdade que outra coisa me traz curiosidade.
Conforme o tempo passa, vejo tudo meio embaçado. As pessoas, o Brasil, meu passado.
Verdade que quase todo mundo tem que usar óculos quando vai chegando aos quarenta… Os meus, felizes quarenta anos, chegam no dia dezoito de dezembro. Consequência é que ainda tenho muito “serviço” que fazer!

Comentários

Comentar