Caos

Minha casa é um caos. “Normal, com dois filhos menores de quatro anos”, pensarão todos. Mas não estou exagerando: é um caos! Tanto que estou começando a criar categorias de níveis caóticos, que começa na categoria 1(bagunça aceitável) e vai até a categoria 5 (péssima-mãe-dona-de-casa) e já estou quase na 5. Como sei? Tem brinquedos espalhados por todos os cômodos. Por mais que vaiamos a Ikea e voltemos de lá cheios de caixas para organizá-los, encontramos brinquedos nos lugares mais inesperados: debaixo do sofá (um clássico), debaixo das camas, debaixo da mesa de trabalho, na cozinha, sempre vamos encontrando um lego aqui, um carrinho ali, um patinete esquecido no corredor e vamos passando por cima, para não passar o dia gritando: “Hugo, Carol guardar esses brinquedos jáaaaaaaaa!”
Mas se fossem só os brinquedos, no máximo chegaria na categoria 2, o da bagunça normal. Mas também tem as roupas. Ah! As roupas… Roupas pequenas para dar de presente. Guardar as de verão para levar para o Brasil. As de frio daremos por aqui mesmo. Mas para quem? Está tudo novo… Colocar roupa na máquina. Dobrar e separar tudo. Passar? Estão de sacanagem… Os sapatos que cismam em desaparecer justo na hora de sair. Conseguir sair na hora e não chegar sempre atrasados. Menina que está deixando a fralda e sempre pede pipi quando já estamos todos vestidos e com a porta aberta. Conseguir sair sem esquecer nada e com as crianças penteadas:
“Mãe, trouxe meus óculos de sol?”
“Sim.”
“O lanche?”
“Roupa para trocar?”
“Água? O Telefone? A chave? O protetor solar? …”
Mas tudo isso junto ainda é pouco, só chegaríamos na categoria 3, que Bagunça!!. Assim mesmo, com maiúsculas e dois pontos de exclamação. Na cetegoria 4, um furacão passou por aqui, onde estamos, tem também as coisas que desaparecem. O pen drive, as canetas, os cartões de memória da câmera, tudo que foi deixado ao alcance de quatro pequenas mãozinhas e que nesse momento devem estar em alguma caixa de brinquedo (por que compramos tantas em Ikea?). Panos de prato usados de manta para bonecas. Roupas (outra vez as roupas!) tiradas das gavetas e espalhadas pelo quarto. Acrescente a dois pais que estão trabalhando e não podem, nem querem passar seu tempo livre sempre guardando algo e estressados com os pequenos, a sensação é realmente de caos. E quase chegando na categoria 5, onde às vezes acho que me encontro, quando vejo a outras mães que chegam na natação com os filhos com o protetor solar já posto, de salto alto (como admiro quem consegue empurrar carrinho de bebê de salto alto!), crianças penteadas e cara tranqüila. Cara de mãe profissional.
Nossa sorte é que uma tarde por semana, Nela, nossa super faxineira equatoriana, nos salva do caos absoluto. Ela é a responsável pelo mínimo de ordem que mantemos nessa casa. Porque, por mais que não paremos de fazer coisas desde o momento que nos levantamos até a hora de dormir outra vez, a sensação é que é impossível lutar contra a Bagunça maiúscula de crianças de férias. Mas enfim, falta pouco para pegarmos um avião e irmos para a casa da verdadeira mãe profissional, quer dizer, a minha. Brasil, nos aguarda!

Caixas para organizar brinquedos. Ou nao?

Caixas para organizar brinquedos. Ou nao?

Comentários

  1. Olha, lembrei muito do seu texto estes dias. Aqui em casa também tento organizar, mas com eles em férias, não é fácil.E agora, temos recebido visitas para alugar o apartamento, eu me desfazendo das coisas. Céus, não sei mais como disfarçar o caos. Força e bom Brasil para vocês.

    • Bia, bom saber que nao é so aquí. Domingo passaremos por Lisboa. Se a TAP fizer como todos os anos (sair com atraso de BCN e perder a conexao), dormimos em Lisboa e te dou um toque. Beijos!

Comentar