Viver fora do Brasil me mostrou como a “ocasião faz o ladrao”.

Para aqueles que me conheceram antes de eu me mudar do Brasil sabem o quanto eu era “mimada”, tendo td sempre na mao.

E sei que muitos ate duvidaram de que eu nao aguentaria ficar mto tempo longe, ate eu duvidava, ja que eu tinha 27 anos e nao sabia nem fritar um ovo!!!

Enfim meu primeiro emprego na Australia foi em um restaurante tipico, pequeno, onde tinhamos que fazer de td, foi dificil, mas ao mesmo tempo sentia um enorme prazer de estar ultrapassando os meus “limites tao limitados” e aos poucos aprendi a fazer tudo naquele lugar, minha chefe me tratava como uma filha, e acabei saindo de lá só porque mudei de cidade.
Nova cidade, zero amigos, e muito tempo de sobra, e assim consegui meu segundo emprego, em um hotel/flat, era para trabalhar como ajudante na cozinha, mas depois de algumas semanas estava la eu sozinha na cozinha, sendo responsavel por todo café da manha do buffet, nos fins de semanas chegava a atender 200 pessoas por dia, acho q eu perdia umas mil calorias por manha, e eu pensava, como eu fui parar ali (as pessoas me chamavam de chef!!) ja q ate salmao no forno eu consegui estragar em uma das raras tentativas de cozinhar no Brasil.

Meu terceiro emprego foi em um restaurante mto bom, e ate pao eu aprendi a fazer lá, foram 3 lugares otimos que trabalhei e aprendi muito, e desde meu primeiro filho eu parei de trabalhar fora.

E com a maternidade eu descobri mais ainda sobre a cozinha, fazia desde muffins de legumes a nuggets caseiro de frango, arrisquei pao de mel, pao de queijo, e qdo me dei conta estava fazendo tortas, paes, coxinhas, e minhas amigas sempre me incentivando a vender esses quitutes que eu nunca jamais teria tentado fazer se eu nao tivesse saido fo Brasil.

Parece bobo, mas se nao fosse minha vida na Australia, eu nao teria descoberto nunca esse meu novo “talento”. E hoje estou feliz vendendo coxinha, torta de palmito, pao de queijo rsrsrsrs adoro ver a caras das pessoas se deliciando com comidinhas que sentimos tanta falta morando tao longe.

 

Comentários

Comentar