Férias de quem?!?

Chegaram as férias de verão! Manhã de encerramento das atividades na escola, despedida dos professores e de outros amigos que não vamos vai ver no “ano que vem” (leia-se próximo ano letivo, que começa em setembro). Como a Roseane Marinho falou aqui tem em mesmo cara de final de ano no Brasil.

Confesso que meu relógio mental ainda não se acostumou com esta idéia, então, a cada vez que alguém me dizia “next year something”, eu tinha um pequeno sobressalto: como assim, ano quem vem!?! E só o meio do ano, minha gente! Isso, com cara de paisagem, é claro, até eu me lembrar que a tradução correta seria: depois das férias!

O que me leva ao tema deste post que venho ruminando desde que as tais férias chegaram… Faz a conta: começou em 12.jun e vai terminar em 3.set… = 12 semanas!!!

Nunca fiquei sozinha com as crianças por mais de 2 semanas, vou explicar: sem babá, sem empregada, sem mãe, sem tias e tios e com poucas, pouquíssimas, amigas, e o marido trabalhando, vida normal.

Mas Madá, eu daria tudo para passar este tempo com os meus filhos, alguns devem estar pensando… E, pra você que pensou isto, eu te digo, é verdade mesmo que a grama do vizinho é sempre mais verde… Se tiver coragem, faça o teste!

Só não vale resort, pois como me disse uma amiga que também se mudou faz pouco tempo de país: “entendo agora o conceito de resort, um lugar em que você não precisa cozinhar, nem arrumar cama, nem lavar roupa e tem gente para entreter as crianças – isto sim são férias de verdade!”

O que ficou destas duas semanas que passaram (como assim, só 2?!?), é que planejamento é a alma do negócio, porque se não planejar, socorro!

Eu já estava me achando ninja em organização por ter um cardápio para os jantares da semana, com as férias entraram mais dois lanches e o almoço…

Também fiz uma lista com os programas bacanas que poderíamos fazer, alguns até com datas certas, mas percebi que estas atividades são pontuais e demandam tempo e planejamento… Além destes dias “especiais” preciso pensar em atividades (sim, mais de uma!) cotidianas – ir ao parque ou a biblioteca, andar de bicicleta, desenhar, brincar de amarelinha, e tem que encaixar também ir ao supermercado, cozinhar, separar a roupa para lavar…

E o ideal é saber o que vai fazer naquele dia antes de os pequenos acordarem!

Ou as crianças usam a criatividade e o resultado nem sempre é dos melhores… Por aqui já tivemos corpos e paredes pintados porque acabou o papel, todos os itens do banheiro escondidos nas gavetas do quarto, uma massa grudenta de batom e pasta de dente para colar um rasgo no edredon…

Depois de dois dias insanos, sem qualquer atividade planejada, este post, de uma mãe bem avançada na arte do planejamento, foi praticamente uma revelação pra mim! Igual ler sobre os choros ou as janelas de sono do bebê…

Eu sei e concordo que o bom de estar de férias é não ter o horário rígido da escola e atividades extras, que criança faz mesmo traquinagem, que é uma delícia se deixar levar e seguir o fluxo, que é bom demais tomar sorvete todo dia… Mas com um plano, sinto que até sair dele fica mais fácil! As minhas cordas vocais e os ouvidos dos meus filhos, certamente agradecem!

Agora, voltando a grama verde do vizinho, tenho muita sorte de poder passar este tempo com as crianças, apesar de muitas vezes no dia quase enlouquecer! Não sei se no ano que vem vai ser igual, então vou aproveitar ao máximo, trabalhando duro (planejando, preparando, acompanhando e saindo do plano) para que este período seja memorável, tranquilo e feliz, como costumavam ser as férias da minha infância, onde vejo agora, minha mãe trabalhava muito para que pudéssemos brincar! Tiro férias quando voltar a trabalhar ou quem sabe quando os pequenos forem para a faculdade!

20140630-214559-78359173.jpg

Comentários

  1. Madá, no primeiro dia de ferias, eu já estava com saudade do colégio! Matriculei Hugo num curso de natação na piscina pública do bairro e de tarde vamos para os parques com os amiguinhos do colégio. Mas por outro lado, lembro que na minha infância tínhamos três meses de ferias e meus pais não estavam tão empenhados em nos distrair. Acho que hoje nos preocupamos demais e que as crianças também podem se entediar e ok. É o que ando pensando nesses dias de ferias. Beijos!

  2. Madá, não sei como é por aí, mas assim como a Rosane, no começo das férias, geralmente também Lucca faz cursos de férias. Tem alguns que são pura brincadeira e pra ficar mais divertido tentamos sempre nos juntar a cursos que estejam outros amiguinhos tbm. Costumamos encarar esses cursos com muita flexibilidade, vai se quiser, volta mais cedo quando quiser, vai pra uma atividade se quiser. Afinal estamos todos em férias e nada melhor que tirar férias juntos . Como vc bem disse, isso é o que fica.

  3. Madá, não sei como é por aí, mas assim como a Rosane, no começo das férias, geralmente também Lucca faz cursos de férias. Tem alguns que são pura brincadeira e pra ficar mais divertido tentamos sempre nos juntar a cursos que estejam outros amiguinhos tbm. Costumamos encarar esses cursos com muita flexibilidade, vai se quiser, volta mais cedo quando quiser, vai pra uma atividade se quiser. Afinal estamos todos em férias e nada melhor que tirar férias juntos . Como vc bem disse, isso é o que fica. Beijo grande

    • Oi Ana! Eu coloquei eles em um camp por 2 semanas, no meio de julho, nao quis muitas atividades obrigatorias ate pq Normalmrnte custam dinheiro e tb pq toda ideia de vir morar fora passava por fazer diferente… Mas diferente eh tb dificil… Todo dia sinto como se estivesse aprendendo a andar de bicicleta, sabe qdo vc acha que da para tirar as rodinhas mas ainda nao esta na hora e vc toma um tombo… Mas com treino, chego la! Bjs

Comentar