Viva!

Image

Era um domingo chuvoso, ficamos de molho, curtindo a calma da casa aquecida, o barulho da água a cair, os álbuns dos bichos e os pacotes de figurinhas que tínhamos comprado no sábado. Eu preparei as refeições, lavei as roupas, passei muito soro no nariz e fiz nebulização nos miúdos. Ninguém com febre, só um resfriado chato (ou constipação, como estranhamente dizem aqui). Brincamos um pouco e estava preocupada com os mantimentos que faltavam para o jantar.

Saí para ir ao mercado e deixei a dupla com o pai.

Quando voltei, eram só alegria. Vicente tinha acordado da sesta, os meninos se deliciavam a comer moedas de chocolates, coisa que com a mãe fazem pouco, tinham feito desenhos, jogado bola, brincado de banda, os três, cada um com seu violão e depois de pesquisarem juntos na internet sobre o Raul Seixas, me recebiam cantando “Viva, viva, viva a sociedade alternativa!”.

De uns tempos para cá, João está mais em casa e temos vivido uma espécie de “Sociedade alternativa.”. São tempos interessantes, de renovação. Escrevemos juntos projetos de vida, elaboramos o nosso próximo passo profissional e pessoal, e estamos, os dois, de corpo presente no nosso maior projeto: a infância dos meninos. João passou a ser responsável pela hora do banho, ajuda mais nas questões da casa e abraçou uma parte importante do entretenimento infantil.

Image

Em algum momento ele resolveu misturar o banho com o entretenimento. Os dois na banheira, shampoo nos cabelos e João divertiu-se a chamar os baldes de chapéu e virá-los, cheios d’água, na cabeça dos meninos, cantando:

“Se eu quero e você quer
Tomar banho de chapéu
Ou esperar Papai Noel
Ou discutir Carlos Gardel
Então vá!
Faz o que tu queres
Pois é tudo
Da Lei! Da Lei!”

E virou o nosso hino do momento. A família canta pela sociedade alternativa, acredita na magia, torce pelo ocultismo e registra aquilo que serão as nossas melhores memórias. Confiantes no que temos recebido do universo, fugimos do Tango de Gardel, evitamos o tom do fado desta linda terra que nos recebe e nos divertimos ao som de Raul. Estamos de corpo presente, em conexão com o tempo que temos. Plantamos para colher um futuro tão bom quanto a vida que temos hoje.

Comentários

  1. Viva! Viva! Viva a vida tão cheia de alternativas! Você tem toda razão,apesar dos momentos de vida diversos de nós duas, a sincronicidade é total Bia. Pra mim o saldo que fica é esse registro da experiência em família. E uma coisa é certa Bia: historia a gente tem um tanto delas pra contar. beijo grande

  2. Bom para o casal!bom para familia!momentos alternativos que lá no futuro vocês terão saudades…curtam os cheiros,o barulho se toquem….passa tudo muito rápido…bjoss para essa familia linda;que é minha também

  3. bia, sou cada vez mais sua fã 🙂 a cada palavra… me dá mais saudade mas a sinto cada vez mais perto 🙂 grande beijo minha amiga… VIVA!

Comentar